Tratando as varizes nos novos tempos, pós pandemia do Corona

A pandemia de Corona Vírus afetará as nossas vidas no presente e no futuro.

Ela nos mostrou como somos suscetíveis a infecções e como os hábitos e rotinas podem contribuir para a disseminação de infecções.

Está evidente como precisamos adotar novas rotinas e repensar nosso modelo de assistência na saúde, já bastante sobrecarregado com o tratamento de diversas doenças crônico-degenerativas, que continuam aumentando com o envelhecimento da população.

Existem diversas cirurgias, que podem ser realizadas sob anestesia local e sem internação e que continuam sendo realizadas em ambientes hospitalares, expondo os pacientes ao risco de infecções, além de fazer uso de leito importantíssimo para o tratamento de pacientes graves.

Um modelo de tratamento muito interessante são as cirurgias ambulatoriais, ou seja sob anestesia local e sem internação em hospitais.

Defendo este modelo de tratamento para algumas patologias, dentre elas as varizes de membros inferiores, o que já é uma realidade em vários países, (nos EUA e e também na Europa)

No Brasil, por diversas questões, tais  como: receio de pacientes e profissionais, aversão à anestesia local e pequenos número de locais preparados para  realização deste tipo de cirurgias; o número de cirurgias ambulatoriais ainda é muito pequeno.

Com a pandemia, acredito que este modelo irá se expandir, pois diminui o risco de infecções, deixa leitos hospitalares disponíveis para o tratamento de doenças mais graves e aumenta a qualidade do tratamento.

Na VENE possuímos toda a estrutura necessária para realização de cirurgias ambulatoriais de varizes, com tratamento personalizado, ágil, humanizado.

Onde associamos conforto e qualidade aos tratamentos.

Com isso oferecemos excelente alternativa de tratamentos aos pacientes, além de fazer uso racional dos recursos da saúde, atitude tão necessária no presente e no futuro!!!

Dr Marcio Filippo

Diretor da VENE

 

VARIZES E CORONA VIRUS

VARIZES E CORONA VIRUS