Trombose Venosa de Membros Inferiores

A trombose venosa profunda é definida como a formação de trombos (coágulos) no trombos (coágulos) no interior das veias.

As veias têm a função de levar o sangue do corpo de volta ao coração. Esta é uma tarefa difícil, o que torna este segmento da circulação o mais frágil, principalmente nas pernas.

Esta maior fragilidade se deve à algumas características.

Este é um sistema de baixa pressão e baixa velocidade, pois nós não temos um “coração nas extremidades”, ou seja, uma bomba para impulsionar o sangue de volta. E a situação é mais crítica nos membros inferiores, onde o sangue tem que vencer a gravidade para retornar ao coração.

Para auxiliar nesta função árdua, as veias contam com alguns mecanismos auxiliares, são eles:

  • A musculatura da panturrilha, quando é ativada durante a caminhada, propulsiona o sangue para cima;
  • A respiração, que durante a fase inspiratória “aspira” o sangue para o coração;
  • As válvulas que estão presentes no interior das veias, que impedem o refluxo do sangue tornando o mesmo unidirecional.

E como se desenvolve uma trombose venosa?

Ela se dá quando o fluxo nas veias está prejudicado ou quando temos algum problema no sistema de coagulação.

E quando isto acontece?
Pacientes acamados ou com mobilidade reduzida por qualquer motivo, situação onde a musculatura da panturrilha não é utilizada, estão mais propensos a desenvolverem uma trombose. Ou seja: pacientes graves em CTI, pós-operatórios, imobilizados por fraturas ortopédicas, doenças neurológicas com dificuldade para caminhar. Outra situação que aumenta a probabilidade de trombose venosa são as doenças das veias, principalmente o mal funcionamento das válvulas, representado pelas varizes nas pernas. Não podemos esquecer das doenças pulmonares, principalmente o DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), que prejudica o retorno do sangue ao coração.

Quais são os sintomas da trombose?
Os principais são a dor e inchaço, ocasionados pela obstrução do fluxo sanguíneo levando ao acúmulo de sangue nas pernas.
Porém diferente das varizes, que também podem causar estes sintomas, o início deste quadro é abrupto e não lento como nas varizes.

Outra característica importante é que os sintomas geralmente estão associados à presença dos fatores de risco descritos acima.

Para estes casos é fundamental procurar atendimento médico de emergência e confirmar o diagnóstico através do exame de EcoDoppler venoso.

E como devo me tratar?
Todo o tratamento é realizado por um período de 6 meses, com base em remédios anticoagulantes.

Esta medicação tem como objetivo dissolver o trombo, restabelecendo a circulação venosa no membro e assim impedindo que fragmentos do coágulo se desprendam, indo se alojar nas artérias pulmonares.

Este quadro gravíssimo, inclusive com risco de óbito, é chamado de embolia pulmonar.

Existe prevenção para trombose venosa das pernas?

A medida mais simples e eficiente para prevenção de trombose é andar.
No entanto, em algumas situações não é possível, pois o paciente está acamado. Nestes momentos utilizamos os anticoagulantes, meias elásticas ou equipamentos especiais – compressores pneumáticos.
Outra medida importante é cessar o tabagismo.

As viagens de avião aumentam o risco de trombose nas pernas?

Sim, elas aumentam o risco.
E se você vai passar muitas horas dentro de um avião procure fazer pequenas caminhadas pelos corredores ou faça exercícios com a musculatura da panturrilha, mexendo os pés com frequência.  O uso de meias elásticas também é indicado para as viagens longas, já que elas aumentam a incidência de trombose devido à imobilização da musculatura das pernas.

Em caso de dúvidas, ou aparecimento destes sintomas, procure o atendimento médico com o seu cirurgião vascular.